Notícias Dicas


Pesquisa

Pesquisa

Ao analisar dados de mais de 61.000 pacientes de oito estudos, cientistas canadenses (Leadership Sinai Centre for Diabetes, Mount Sinai Hospital; University of Toronto; and Lunenfeld-Tanenbaum Research Institute, Mount Sinai Hospital, Toronto, Ontario, Canada), em estudo publicado hoje na Annals for Internal Medicine, encontraram grande evidência que desafia o chamado paradoxo da obesidade: o conceito de obesidade saudável. 

Não surpreendentemente, os pesquisadores encontraram menor risco de morte prematura entre pessoas de peso saudável e índice de massa corporal normal. Mas eles também encontraram evidências de que as pessoas obesas desfrutando de boa saúde metabólica - com níveis relativamente baixos de colesterol, por exemplo - também estavam em maior risco de morte. Pessoas que estavam acima do peso, mas não obesos, apresentaram o mesmo risco de morte prematura do que aqueles que eram obesos.

Esses efeitos só apareceram em estudos de seguimenro de pelo menos 10 anos. Mesmo sem nenhum problema metabólico, como colesterol alto ou hipertensão, as pessoas obesas têm um risco muito maior de morte prematura: 24% em relação ao que têm peso normal.

Para os autores do estudo de revisão, a constatação é de que o risco de morte e eventos cardiovasculares em indivíduos com sobrepeso ou obesidade, mesmo que não apresentem alterações metabólicas e cardiovasculares em exames, ao longo do tempo, teria um efeito cumulativo. Para eles, isso demosntra que os pacientes devem sempre ser orientados a perder peso, independente do que dizem os exames laboratoriais.

Além de um maior risco de doenças cardiovasculares e metabólicas, a obesidade aumenta o risco de diabetes tipo 2, doença renal, alguns tipos de câncer , e tem sido associada a problemas ortopédicos, problemas de saúde reprodutiva, dores nas costas , infecções de pele, e declínio cognitivo. Assim, os pesquisadores aconselham que a obesidade ser vista de forma holística, considerando o efeito da condição de todo o corpo humano.

Para eles, a descoberta deve estimular novas pesquisas, bem como mudanças de política na área da saúde. "A idéia de que não precisamos  direcionar os recursos da saúde para pessoas obesas cujos testes de laboratório são normais tem se mostrado falsa", alertam. Estar metabolicamente normal, segundo os cientistas, não é uma proteção para pessoas acima do peso.

Leia mais e acesse o estudo >>> http://goo.gl/GgKzgO


Colunistas