Notícias Dicas


Sibutramina Sob Suspeita na Europa

Sibutramina Sob Suspeita na Europa

Sibutramina Sob Suspeita na Europa
Por Beth Santos

A suspensão da venda e da prescrição de remédios que contêm sibutramina acaba de ser recomendada pela Agência Europeia de Medicamentos (Emea, na sigla em inglês). A decisão se baseia em dados do estudo Scout (Sibutramine Cardiovascular Outcomes Trial), que avaliou 10 mil pacientes por seis anos e detectou maior risco de problemas cardiovasculares entre os que usavam a substância. A maioria dos avaliados já tinha doenças cardíacas.

Uma das drogas mais utilizadas para emagrecimento no Brasil e nos EUA, a sibutramina poderá sofrer mudança de indicação terapêutica ou ter sua venda suspensa em território nacional pela Anvisa, que decidirá até o fim da semana.

Nos Estados Unidos sua comercialização foi restrita no final de 2009, após avaliação da Food and Drug Administration. A FDA concluiu, baseada em dados preliminares do Scout, que a droga aumenta o risco de derrames e infartos em cardíacos. O estudo revelou que 11,4% dos usuários tiveram infarto ou derrame, o que ocorreu com 10% dos que usaram placebo.

Palavra de Especialista
A presidente da Associação para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), endocrinologista Rosana Radominski, comentou que o estudo Scout “foi feito com indivíduos acima de 55 anos e com alto risco cardiovascular”. Segundo a especialista, “as conclusões deste estudo não se aplicam a todos os outros indivíduos obesos mais jovens e que precisam emagrecer”.

A Dra. Rosana explica que a sibutramina “está no mercado há 12 anos e considero – da mesma forma que a maioria dos endocrinologistas – um medicamento seguro e eficaz, sem risco de dependência química, desde que respeitadas as contraindicações”.

No Brasil, os medicamentos à base de sibutramina são de uso controlado, vendidos somente com receita médica que fica retida na farmácia.

Colunistas