Notícias Dicas


Sal

Sal

Adolescentes americanos estão tomando o máximo de sal na dieta, como adultos, ultrapassando orientações sobre limites saudáveis ​​para o consumo diário , adverte uma nova pesquisa.


A investigação rastreou os hábitos alimentares, durante uma semana, de mais de 760 crianças do ensino médio. Constatou-se que, em média, os adolescentes ingeriram uma gritante quantidade de 3.280 miligramas (mg) de sódio (sal) por dia! O que equivale a mais que o dobro do nível máximo recomendado pela American Heart Association, de 1.500 mg de sódio por dia.

E o resultado , dizem os pesquisadores, é um maior risco de obesidade na adolescência, dada a maior descoberta de uma aparente ligação direta entre altos níveis de ingestão de sal e o aumento do risco de obesidade.

Os autores dizem que mesmo após a contabilização de muitos outros fatores de risco que podem contribuir para o aumento de peso, o consumo exagerado de sal nessa faixa etária foi independentemente associado com um maior risco de obesidade.

A pesquisa foi realizada pelo Instituto de Saúde Pública e Preventiva da Universidade Georgia Regents, e os resultados foram publicados na versão on-line da última segunda (3), na revista Pediatrics.

Para examinar o consumo de sal entre adolescentes americanos, os pesquisadores se concentraram em adolescentes saudáveis ​​com idade entre 14 e 18 anos, que frequentam escolas públicas locais na área. Os adolescentes foram divididos quase uniformemente entre raça e sexo. Até sete vezes ao longo de uma única semana, cada aluno foi repetidamente convidado a contar o que comeu no dia anterior, com especial atenção para a quantidade de refrigerantes açucarados e calorias consumidas .

Os alunos também tiveram a sua altura e peso medidos para calcular o seu índice de massa corporal (IMC), e realizara raios-X e ressonância magnética para avaliar a porcentagem de gordura corporal e dispersão de tecido adiposo. A circunferência da cintura também foi medida e amostras de sangue em jejum foram examinadas para procurar sinais de inflamação relacionadas à obesidade .

O resultado: 97% dos adolescentes estavam consumindo níveis de sal superior a recomendações diárias da AHA, sendo que os adolescentes brancos consumiam um pouco mais que os afrodescendentes (cerca de 3.350 mg X 3.200 mg, em média).

Além do mais, a equipe encontrou uma associação direta entre a ingestão de altos níveis de sal e o risco de excesso de peso ou obesidade, ter uma cintura maior e ter mais gordura corporal e massa gorda. Níveis de concentração de leptina, hormônio chave envolvido na regulação da fome e do metabolismo, também foram encontrados alterados à medida que o consumo de sal aumenta.

Muitos estudos anteriores destacaram associação indireta entre a ingestão de sal e obesidade. Essa pesquisa reflete o fato de que o sal normalmente estimula o desejo de beber refrigerante mais açucarados e consumir mais calorias.

O novo estudo, no entanto, descobriu que os adolescentes que ingerem sal em grandes quantidades diariamente eram mais propensos a ser obesos, independentemente do seu consumo de álcool e hábitos alimentares particulares. Por que isso ocorre ainda não está claro, os autores destacam que são necessários outros estudos e uma investigação mais detalhada.

Mas uma coisa é certa, o consumo de sal além dos limites estabelecidos pela organizações de saúde só trazem prejuízo à saúde.

Colunistas