Notícias Dicas


Refrigerante Aumenta Prevalência de Síndrome Metabólica

Refrigerante Aumenta Prevalência de Síndrome Metabólica

02 de agosto de 2007.
Por: Flavia Garcia Reis

O consumo diário de refrigerante mostrou um aumento de 48% na prevalência da síndrome metabólica em comparação aos indivíduos que consomem menos de um refrigerante por dia, de acordo com pesquisa do Instituto Framingham, em Boston, EUA. Segundo o pesquisador e professor da Escola de Medicina da Universidade de Boston, EUA, Ramachandran Vasan, o risco aumenta tanto em pessoas que consomem o refrigerante diet quanto entre os que tomam a versão normal.

A pesquisa avaliou 9 mil pessoas de meia-idade, durante quatro anos. Foi observada uma associação significativa do consumo de refrigerantes com o desenvolvimento de fatores de risco da síndrome metabólica, como doença cardiovascular, diabetes, aumento da circunferência abdominal, hipertensão, elevação nos níveis de triglicerídeos e de glicose em jejum, além da redução de lipoproteínas de alta densidade (o “colesterol bom”).

Segundo o autor principal, pela primeira vez foi realizado um estudo com refrigerantes diet, consumidos principalmente por pessoas que querem perder peso. De qualquer forma, os indivíduos que beberam mais de um refrigerante por dia apresentaram um aumento de 31% nas chances de serem obesos; 25% na elevação dos triglicerídeos e 32% na redução do colesterol bom.

O estudo – publicado na revista Circulation, da Associação Norte-Americana do Coração – apresenta três possíveis explicações que ainda precisam ser estudadas. São elas:

1. O xarope de frutose de milho, utilizado nos refrigerantes, causaria ganho de peso;
2. O maior consumo de líquidos estaria ligado a um grau mais baixo de compensação alimentar;
3. Os refrigerantes – diets ou não – são altamente adocicados.

Colunistas