Notícias Dicas


Reforços no tratamento da Obesidade

Reforços no tratamento da Obesidade

Reforços no tratamento da Obesidade

Liraglutide pode ser aprovado para o tratamento da obesidade até o final de outubro, nos EUA. Contrave foi aprovado na última quarta-feira (10).

A droga é uma combinação de duas drogas já aprovadas para outras indicações: cloridrato de naltrexona, que é usado para combater o álcool e dependência de opiáceos, e bupropiona, que é usado no tratamento da depressão e transtorno afetivo sazonal e como uma ajuda para tratamento do tabagismo. 

O FDA disse que Contrave foi aprovado para uso em adultos obesos (IMC de 30 ou mais anos) ou adultos com sobrepeso (IMC de 27 ou mais), com pelo menos uma condição relacionada com o peso, tais como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, ou elevado colesterol.

Obesos podem ter mais um medicamento à disposição para o tratamento da obesidade. Um painel consultivo do FDA – Food and Drug Administration, dos EUA, realizado na tarde desta quinta-feira (11), votou por 14 a um pela recomendação do Liraglutide (conhecido pelo nome comercial e Victoza, usado no tratamento do diabetes tipo 2) para o tratamento da obesidade, e concluiu que a sua administração é segura e eficaz em pacientes cronicamente obesos com pelo menos um problema de saúde relacionados com o peso. 

A FDA normalmente segue as recomendações de seus painéis consultivos. Pouco antes da votação, foi apresentado um estudo que mostrou que metade dos obesos perdeu pelo menos 5% do seu peso corporal com a administração diária 3 mg do medicamento é injetável, enquanto 22% perderam mais de 10%. A droga é proposta para uso em pacientes que também têm pelo menos uma outra condição relacionada com o peso, tais como a hipertensão, diabetes. 

O medicamento, se aprovado, deverá chegar ao mercado com o nome Saxenda. E deve competir no mercado americano o Contrave, aprovado pelo FDA para uso no tratamento da obesidade, na última quarta-feira (10). 

O FDA deve decidir pela aprovação do Saxenda até o final de outubro.

A Abeso – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica considera positiva a aprovação de novos medicamentos para o tratamento da obesidade. “Isso demonstra que os órgãos reguladores passam a aceitar a obesidade como doença. E como qualquer doente crônico, o obeso precisa ter acesso ao tratamento completo, incluindo administração bem indicada e acompanhada de medicamentos, quando necessário”, destaca a diretora da Abeso, a endocrinologista Cintia Cercato.
 

Colunistas