Notícias Dicas


Páscoa Inspira Cuidados Extras

Páscoa Inspira Cuidados Extras

Por Juan Saavedra

Em boa parte das casas brasileiras, o ritual é o mesmo. O domingo de Páscoa é a data da tradicional troca de ovos de chocolate. Um momento de confraternização que exige um certo estoicismo de quem está acima do peso ou já obeso. “Dar e receber ovos já faz parte da nossa cultura. É uma maneira de mostrar carinho. Mas é um evento preocupante, porque o chocolate é um alimento com muita gordura e açúcar e, portanto, extremamente calórico”, diz o endocrinologista José Egídio Paulo de Oliveira, professor titular da faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A versão tradicional de um chocolate contém cerca de 30% de gordura e 47% de açúcar. Seu consumo exagerado, segundo o Dr. José Egídio, pode ter uma série de malefícios: “Favorece o excesso de peso, que aumenta a pressão arterial e amplia o risco de doenças cardiovasculares. Dificulta ainda o controle de diabetes”, lista o médico, chefe do Serviço de Nutrologia do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

A palavra de ordem é bom senso, diz a nutricionista Mônica Beyruti, membro do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO). Mesmo um ovo não muito grande, segundo ela, pode ser uma ameaça à dieta.  “Cem gramas de chocolate fornecem muitas calorias, cerca de 600. Por isso, quem tem problemas de peso deve consumi-lo com moderação”, explica Mônica. Além disso, é importante ler o rótulo. “O chocolate mais comercial fica mais resistente ao calor devido à gordura hidrogenada, que muitas vezes pode ser a famosa gordura trans, que faz mal à saúde”, completa.

Limites
Na Páscoa, o ovo ideal deve ser pequeno. “Para quem está em tratamento para perder peso, o ideal é comprar um ovo de cerca de 170-180g e consumir em uma semana”, recomenda Renata Bressan Pepe, nutricionista da Clínica Alfredo Halpern, especialista em nutrição nas doenças crônico-degenerativas. De acordo com a consultora nutricional Mônica Beyruti, quem está em dieta para redução de peso, e adora chocolate, pode comer um pouquinho - o equivalente a um bombom pequeno (cerca de 20 gramas) todos os dias - sem deixar de emagrecer. “Mas sempre com orientação profissional”, ressalva.

De todo modo, não convém gastar todas as calorias permitidas com o doce. “Assim, é possível deixar espaço para ingerir outros alimentos ricos em nutrientes importantes para saúde, sem que seja preciso quebrar o controle alimentar”, afirma Mônica, especialista em nutrição em cardiologia pela Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

Os pais também devem ter cuidados com as crianças. “Hoje, até por questões de segurança, as crianças passam mais tempo em casa e praticam menos atividade física porque ficam ocupadas com TV, computador ou videogames. Por isso, o consumo de muito chocolate pode causar ganho de peso”, alerta o Dr. Egídio. “É muito importante que os pequenos tenham uma dieta bem equilibrada para que não falte nenhum nutriente para manutenção da saúde. O chocolate mata a fome e, assim, eles podem deixar de comer itens importantes”, complementa Mônica, também nutricionista da liga de obesidade infantil do HC-FMUSP.

Diet Também Preocupa
Ao contrário do que muita gente imagina, o chocolate diet tem calorias parecidas com o tipo tradicional, ou pode ter até mais calorias, por conter mais gorduras. Em média, de acordo com dados da nutricionista Mônica Beyruti, um chocolate diet ao leite de 100 gramas possui 33 gramas de gorduras e 50g carboidratos – em torno de 500 calorias. Já um chocolate ao leite comum, do mesmo peso, contém 27 gramas de gorduras e 65 gramas de carboidratos, num total de 525 calorias. “Por achar que é diet, o indivíduo tende a comer mais, mas a diferença de calorias é muito pequena e, às vezes, até inexistente”, reforça o Dr. Egídio.

Chocolate Amargo
O chocolate com pelo menos 70% de cacau, especialmente o do tipo amargo, pode ter efeito positivo na redução da oxidação do LDL (colesterol ruim), de acordo com Mônica Beyruti. Mas para se beneficiar desse efeito positivo seria preciso ingerir 100 gramas. O que para um obeso é uma ameaça, considerando a quantidade de calorias.

Mas quando se fala de chocolate não devemos pensar apenas em restrição. “A massa de cacau, apresenta teobromina, relacionada à serotonina, que melhora o humor”, assinala Mônica Beyruti. Sua colega de profissão, Renata Pepe, vê outros benefícios: “Quando consumido com moderação, o chocolate está relacionado ao prazer. Afinal, não nos alimentamos somente para ingerir os nutrientes necessários”.

Chocolate Branco É Mais Calórico
O chocolate branco, que não usa a massa de cacau em sua composição, é um pouco mais calórico do que o chocolate comum. Feito de manteiga de cacau, açúcar e leite, ele não reúne os antioxidantes da massa de cacau presentes nos chocolates do tipo amargo.

 

Colunistas