Notícias Dicas


Para Combater a Obesidade nas Escolas

Para Combater a Obesidade nas Escolas

Para Combater a Obesidade nas Escolas
Por Sandra Malafaia

Desde o dia 5 de março, profissionais de Saúde e Educação estão orientando e avaliando estudantes da faixa etária entre 5 e 19 anos, em 22 mil escolas públicas do país. Trata-se da primeira edição da Semana de Mobilização Saúde na Escola, que segue até o próximo dia 9. As crianças e os jovens estão recebendo informações de combate à obesidade.

Avaliações nutricionais, palestras e visitas das famílias dos estudantes a Unidades Básicas de Saúde estão sendo realizadas por profissionais que fazem parte da Estratégia Saúde da Família.

A Semana de Mobilização foi instituída por portaria publicada no Diário Oficial da União e acontecerá todos os anos. A adesão é voluntária – sendo uma das ações previstas no Programa Saúde na Escola, desenvolvido pelos Ministérios da Saúde e Educação, desde 2007 –, mas 1.938 municípios já aderiram à iniciativa.

Verificação de IMC

Como o tema prioritário deste ano é a obesidade na infância e na adolescência, profissionais das equipes do Programa Saúde da Família estão pesando e medindo os alunos para verificarem o Índice de Massa Corporal (IMC) de cada um deles.

Os estudantes que estiverem com excesso de peso serão encaminhados para as Unidades Básicas de Saúde.

Epidemia

Segundo a Dra. Lilian Zaboto, pediatra e membro do Departamento de Obesidade Infantil da ABESO, a iniciativa dos Ministérios da Saúde e da Educação visa impedir uma "epidemia" de adultos jovens com hipertensão arterial e diabetes tipo 2. “Com o aumento descontrolado no número de crianças e adultos obesos, teremos uma população de adultos com obesidade e todas as doenças ou comorbidades, que são consequências do aumento de peso”, explica.

A Dra Lilian acrescenta que, além dos problemas individuais na saúde de cada obeso, estas doenças geram um custo exorbitante para a saúde pública, sendo que iniciativas como a Semana de Mobilização podem diminuir os índices de obesidade infantil, e minimizar o número de crianças que sofrem "bulling" por não fazerem parte do estereótipo de magreza imposto pela sociedade.

“Ações deste tipo devem ser expandidas para escolas privadas, pois os estudos atuais demonstram índices ainda mais elevados de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes de classe média alta e de regiões urbanas, devido a um maior acesso a alimentos industrializados e estilo de vida mais sedentário, por ficarem horas frente a vídeo games, TVs e computadores”, ressalta a especialista.

Pesquisa do IBGE

De acordo com a Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), realizada entre 2008/2009 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma em cada três crianças com idade entre 5 e 9 anos estão com peso acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde (MS). E mais: entre os jovens de 10 a 19 anos, 1 em cada 5 apresentam excesso de peso.

Valores

Assim, em dezembro de 2011, o MS autorizou o repasse de R$ 118,9 milhões referente aos 2.495 municípios que aderiram ao Programa Saúde na Escola. Os municípios já receberam 70% do valor acertado para implementar as ações. Os 30% restantes serão pagos após prestação de contas das ações em desenvolvimento. Já os 1938 municípios que aderiram à Semana de Mobilização receberão um incentivo extra de R$ 558,00 por equipe de saúde da família envolvidas na ação.

Leia Mais:
Obesidade É Tema Principal da Semana Saúde na Escola

Colunistas