Notícias Dicas


Obesidade em Relações Sociais é Alvo de Pesquisa Inédita

Obesidade em Relações Sociais é Alvo de Pesquisa Inédita

Por Bárbara Bezerra
27 de julho de 2007

Um estudo publicado no último dia 26 de julho no New England Journal of Medicine revela que há relação no ganho de peso entre indivíduos muito próximos. A pesquisa é considerada inédita.

Esse é o resultado de uma análise coordenada pelo especialista em sociologia da medicina, Nicholas Christakis, da Universidade de Harvard, envolvendo 12.067 pessoas, durante 32 anos (entre 1971 e 2003).

Pessoas que mantém relações estreitas de amizade com alguém que engordou muito foram o alvo do estudo. Esse fator aumenta em 57% as chances do amigo do obeso ganhar peso. O efeito é zero quando um vizinho, que não tem vínculo de amizade, ganha ou perde peso. Já entre os parentes, estes têm menos influência do que amigos. Entre amigos íntimos, se um deles se torna obeso, o outro tem um aumento de 171% na chance de ganhar peso excessivamente.

O fato de um amigo estar longe ou muito próximo influencia igualmente no ganho de peso. Para o especialista, uma das explicações sobre o assunto defende que a amizade afeta a percepção individual sobre gordura.

“Você muda suas idéias sobre o que seria um tipo físico aceitável olhando para as pessoas a sua volta”, explica Christakis.

Caso essa pesquisa seja apontada como correta, isto significa que acontece o que muitos chamam de obesidade epidêmica. Então, as redes sociais permitiram que a obesidade se disseminasse rapidamente.
 

Colunistas