Notícias Dicas


Novembro azul, um mês e uma cor, duas causas que têm relação com a obesidade: diabetes e câncer de próstata

Novembro azul, um mês e uma cor, duas causas que têm relação com a obesidade: diabetes e câncer de próstata

Novembro azul começou, juntando no mesmo mês duas causas que usam a mesma cor: Diabetes e Câncer de Próstata. Reforços de comunicação para lembrar duas doença de importante prevalência na população e que podem ser prevenidas (no caso do diabetes tipo 2, que acomete 90% das pessoas que tem diabetes). Por trás dessas doenças, muitas vezes existe uma outra doença: a Obesidade, que é fator de risco para as duas doenças do Novembro Azul. O mês da Obesidade foi outubro, com a campanha #obesidadeeutratocomrespeito, que trabalha a não estigmatização de pessoas com obesidade.

No caso do diabetes, de 80 a 85% das pessoas que desenvolverão diabetes tipo 2 tem sobrepeso ou obesidade. Portanto, obesidade e diabetes tipo 2 praticamente andam juntas. Prevenir a obesidade pode representar um enorme ganho na prevenção do diabetes tipo 2. Quanto ao câncer de próstata, inúmeros estudos têm demonstrado uma relação com a obesidade, que prevenida, também pode prevenir este e outros tipo de câncer.

A prática de pelo menos 150 minutos de atividade física por semana e uma alimentação equilibrada, como menos alimentos ultraprocessados e mais vegetais, legumes e frutas (pelo menos cinco porções por dia), podem trazer impacto muito positivo nos novos casos das duas doenças.

Precisamos falar de obesidade todos os dias. E lutar pela implementação de políticas públicas de saúde apoiem a prevenção e o tratamento adequado da obesidade dentro do Sistema Único de Saúde. Além de ações que visem facilitar a escolha das pessoas por alimentos mais saudáveis, implantando a rotulagem frontal de advertência, indicando os produtos com muito sal, açúcar ou gordura. A Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) está trabalhando todas essas frentes, visando a melhoria da saúde da população.

Não se esqueça: todos temos o dever de tratar a obesidade com respeito e dizer não ao estigma!

Colunistas