Notícias Dicas


Novas evidências apontam para uma ligação-direta entre o consumo de

Novas evidências apontam para uma ligação-direta entre o consumo de

Novas evidências apontam para uma ligação-direta entre o consumo de
açúcar e o diabetes tipo 2

O estudo publicado esta semana na revista PLoS ONE sugere que a
ingestão de açúcar poderia estar mais ligada ao diabetes tipo 2 do que
se acreditava até então.

Por anos, os pesquisadores se apoiaram em uma ligação indireta entre o
consumo de açúcar e o diabetes. O açúcar, assim como qualquer outro
alimento rico em calorias, estaria relacionado ao ganho de peso e, em
conjunto com o estilo de vida, poderia levar ao desenvolvimento do
diabetes tipo 2.

Acontece que uma proporção pequena, mas ainda assim notável, de pessoas
com diabetes tipo 2 não estão acima do peso ou são obesos, e até 40% de
pessoas com peso normal mostrar sinais de síndrome metabólica, um
conjunto de distúrbios metabólicos que predispõe as pessoas ao diabetes.

Então, o que estaria acontecendo? Esta nova evidência epidemiológica
publicada na revista PLoS ONE, sugere que a ingestão de açúcar poderia
estar diretamente associada com o risco de diabetes. A pesquisa não
refuta o caminho do diabetes via obesidade causado por um conjunto de
fatores que inclui o consumo exagerado de açúcar, em vez disso, ele
sugere que comer muito açúcar é mais uma maneira de desenvolver
diabetes.

Os pesquisadores, que são de Stanford, UC-Berkeley e UC-San Francisco,
analisaram por uma década os dados sobre a disponibilidade de açúcar nos
alimentos e as taxas de diabetes nas populações de 175 países. Eles
usaram novos métodos estatísticos derivados do campo da econometria para
controlar diversos fatores que poderiam fornecer explicações
alternativas para a relação entre a ingestão de açúcar e o diabetes,
incluindo o comportamento, a obesidade, o sobrepeso, outras fontes de
calorias, e uma longa lista de medidas sócio-econômicos. Os controles
estatísticos eram mais sofisticados do que os normalmente usados ​​em
pesquisa biomédica.

A investigação mostrou que o aumento de 150 calorias de açúcar foi
associado com um aumento de 1% na taxa da população com diabetes. Um
refrigerante em lata contém cerca de 150 calorias de açúcar.

A pesquisa mostra que quanto mais a população é exposta ao excesso de
açúcar, maior a taxa de diabetes. Além disso, a taxa de diabetes caiu ao
longo do tempo quando a disponibilidade de açúcar caiu, independente de
mudanças para o consumo de calorias, atividades físicas ou outros
fatores relacionados à obesidade.

As descobertas não provam que o açúcar causa diabetes, enfatizam os
autores do estudo, traz dados do mundo real, além dos ensaios de
laboratório, a serem ainda mais investigados.

Saiba mais:  http://www.plosone.org/ 

Colunistas