Notícias Dicas


Nova Droga no Combate à Obesidade

Nova Droga no Combate à Obesidade

Nova Droga no Combate à Obesidade
Por Beth Santos

Pesquisa revela que uma nova droga contra a obesidade, o liraglutide, fez com que voluntários apresentassem perda de peso de cerca de 7 quilos em 20 semanas. O resultado é quase três vezes maior do que a de um grupo controle, e em torno de 50% maior do que nos pacientes tratados com orlistate e placebo.

O liraglutide é o primeiro de uma nova série de medicamentos contra a obesidade que imitam a ação de um hormônio liberado naturalmente no intestino delgado após a alimentação. O especialista que encabeça o trabalho – Dr. Arne Astrup, chefe do Departamento de Nutrição Humana da Universidade de Copenhague, Dinamarca – explicou que a substância “ faz com que o corpo pare de produzir mais insulina e diz ao cérebro que é hora de parar de comer”.

A pesquisa, publicada na revista científica britânica 
The Lancet,  foi realizada com 564 adultos com Índice de Massa Corporal (IMC) superior a 30, tratados em 19 hospitais europeus. Os pacientes foram submetidos a uma dieta de 500 calorias a menos do que a necessidade diária, programa de exercícios e uso de liraglutide (em quatro doses diferentes) ou orlistate e placebo.

Injeção
Os que receberam as doses mais elevadas da nova droga, de 3 mg, alcançaram a média mais alta de perda de peso: 7,2 quilos em 20 semanas; 4,1 quilos com orlistat e 2,8 quilos com placebo. O medicamento foi licenciado no início de 2009 para tratar o diabetes e teve sua segurança comprovada em testes. O estudo do Dr. Astrup foi o primeiro a testar seus efeitos em pessoas obesas, sem diabetes.

O novo medicamento é administrado através de injeção, embaixo da pele, já que a substância poderia ser “quebrada” no intestino. O pesquisador Arne Astrup acha que a injeção “significa que a relação entre paciente e médico deve estar presente, não devendo ser usado para fins meramente estéticos”.

Duplamente Eficaz
O presidente da Associação para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO), Dr. Marcio Mancini, comentou que “um dos hormônios que participam da regulação do balanço energético (diferença entre as calorias ingeridas e as gastas) é o peptídeo semelhante ao glucagon-1(GLP-1), que tem ação promotora de saciedade (por ação no sistema nervoso central), além de reduzir a velocidade de esvaziamento gástrico (por aumentar o tônus do piloro) e aumentar a secreção de insulina (o que beneficia os diabéticos)”.

Dr. Mancini prossegue explicando que “o liraglutide é um análogo desse hormônio endógeno, e vem se mostrando eficaz na redução de peso e no controle do diabetes. No entanto, ele não promove hipoglicemia, de modo que pode ser útil também em não diabéticos”. O endocrinologista esclarece que “o medicamento já é comercializado nos Estados Unidos pela Novo Nordisk com o nome de Victoza, e é administrado em dose única diária”.

Colunistas