Notícias Dicas


Mulheres Obesas: Mais Problemas na Amamentação

Mulheres Obesas: Mais Problemas na Amamentação

Mulheres Obesas: Mais Problemas na Amamentação

As mulheres com excesso de peso e as obesas planejam amamentar por períodos mais curtos, apresentam aleitamento materno com menor duração e em menores proporções.  Estes foram os principais resultados da análise de 592 mulheres adultas no pós-parto, atendidas em quatro Unidades Básicas de Saúde do Rio de Janeiro, realizada pela nutricionista Thais Andrade Fernandes.

O trabalho gerou sua dissertação de mestrado (“Excesso de peso materno pré-gestacional, ganho de peso na gestação e interrupção precoce do aleitamento materno exclusivo no primeiro mês de vida”), apresentada em 2009 no Instituto de Nutrição da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Baseada nessa amostragem, a nutricionista concluiu que aquelas que apresentavam obesidade anterior à gestação tinham cerca de duas vezes mais chances de interromperem o aleitamento materno exclusivo durante o primeiro mês pós-parto. No caso de ganho de peso durante a gestação, a situação se torna mais grave: o abandono da amamentação exclusiva no primeiro mês mostrou-se de duas a três vezes maior.

Três Hipóteses
A autora do trabalho explica, através de três hipóteses, a relação entre o excesso de peso e a amamentação insuficiente. Primeiro, a hipótese fisiológica, segundo a qual a amamentação seria prejudicada porque o excesso de gordura das mães retardaria a queda de progesterona sérica – fato que causa a “descida” do leite materno e leva à lactação.

A segunda hipótese apresentada é a hipótese física: mamas grandes e pesadas com frequência não favorecem o posicionamento e a pega correta do bebê ao seio, prejudicando a sucção. A nutricionista Thais Fernandes comenta que, se a sucção é ineficiente, prejudica a produção do leite materno. Um dos motivos, segundo a autora da dissertação, é que a sucção inadequada não causa o estímulo hormonal necessário à produção de leite.

A última das três é a hipótese psicossocial: a insatisfação da mulher obesa com seu corpo pode prejudicar a amamentação, fazendo, por exemplo, com que ela evite amamentar em público. Somado a estes fatores, é importante registrar que mulheres com excesso de peso tendem a apresentar, mais frequentemente, condições clínicas capazes de influenciar negativamente o aleitamento materno, como diabetes, pré-eclâmpsia e parto via cesariana.

Fonte: Agência Notisa


Colunistas