Notícias Dicas


Ministério da Saúde Promove Hábitos Saudáveis

Ministério da Saúde Promove Hábitos Saudáveis

Ministério da Saúde Promove Hábitos Saudáveis
Por Beth Santos

No Dia Mundial da Saúde, comemorado a 7 de abril, o Ministério da Saúde lançou um programa de estímulo à prática de atividade física e de lazer, com foco na prevenção de doenças crônicas, onde se incluiria a obesidade, o diabetes e a hipertensão. O Programa Academia Saúde prevê a implantação de espaços para atividades individuais e coletivas, equipamentos para alongamentos e orientação de profissionais.

Nestes pólos, como estão sendo chamados, haverá ginástica, capoeira, dança, jogos esportivos, ioga e tai chi chuan. Também estão previstas ações ligadas à segurança alimentar e nutricional, educação alimentar e orientação para a prática das atividades físicas. O lazer também será contemplado, com atividades artísticas e jogos de dama, xadrez etc.

S
egundo a coordenadora de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta, o Academia Saúde se baseia em iniciativas bem sucedidas realizadas em cidades como Belo Horizonte, Recife e Aracaju. As ações do programa serão em parceria com os estados, municípios e Poder Legislativo, e com a participação de profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS) que atuam na Estratégia de Saúde da Família (ESF).

Sedentarismo

Dados de 2009 do Vigitel - inquérito telefônico realizado anualmente pelo MS em 26 capitais e DF - revelaram que 16,4% dos adultos são sedentários e 25,8% dos brasileiros gastam três ou mais horas de seu lazer vendo TV.

O Vigitel 2009 mostrou ainda que somente 15% dos adultos são ativos no tempo livre, com maior proporção entre os homens (18,5%) do que entre as mulheres (12%).

Redução de Sódio

O governo federal promoveu, também no Dia Mundial da Saúde, a divulgação de um termo de compromisso, entre o MS e fabricantes de alimentos processados, estabelecendo um plano de redução gradual nos teores de sódio presentes em 16 categorias de alimentos.

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, comentou que o acordo com a indústria alimentícia "representa um passo fundamental para que seja atingida até 2020 a recomendação de consumo máximo da Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de menos de 5 gramas de sal diários por pessoa”.

Colunistas