Notícias Dicas


Intenção da Anvisa de Proibir Medicamentos Repercutiu na Imprensa

Intenção da Anvisa de Proibir Medicamentos Repercutiu na Imprensa

Intenção da Anvisa de Proibir Medicamentos Repercutiu na Imprensa
Por Cintia Castro

A intenção da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de propor o cancelamento do registro de medicamentos antiobesidade que atuam no sistema nervoso central (a sibutramina e os derivados de anfetamina femproporex, dietilpropiona e mazindol) gerou intensa repercussão na imprensa brasileira.

Diversas reportagens têm sido veiculadas pelos jornais, TV, rádio e internet sobre o assunto, desde que a agência governamental tornou pública, dia 16 de fevereiro, a intenção de propor o banimento dos fármacos do mercado brasileiro. Em várias delas, especialistas da ABESO e da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) foram ouvidos para relatar a visão dos especialistas.

O jornal Estado de S. Paulo ouviu três especialistas para a reportagem Médicos questionam documento da AnvisaForam entrevistados a Dra. Rosana Radominski, presidente da ABESO; o Dr. Ricardo Meirelles, presidente da SBEM; e o Dr. Marcio Mancini, chefe do departamento de obesidade do Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo e ex-presidente da ABESO (2008/2009).

- O documento (relatório da Anvisa) é muito convincente para quem não é da área. Eles usaram os resultados de acordo com o que queriam. Nós analisamos os mesmos estudos e entendemos de maneira diferente - afirmou a Dra. Rosana Radominski.

O Dr. Ricardo Meirelles, presidente da SBEM, lembrou que o relatório da agência inclui citações de livros: “E livros são a opinião do autor. Não são trabalhos científicos. Só por isso considero o relatório frágil”.

Carta Publicada

Uma carta encaminhada pelo endocrinologista Alfredo Halpern - chefe do grupo de obesidade do Hospital das Clínicas de São Paulo, e ex-presidente da ABESO (1988-1990) - ao Superintendente da Anvisa, Dirceu Barbano, foi publicada, na íntegra, pelo Folha.com. A reportagem intitulada Em carta, médico rebate argumentos contra emagrecedores informava ainda que ele não havia recebido nenhuma resposta até aquela data (19/02/2011).

A Revista Veja dedicou sua reportagem de capa ao assunto. O texto Remédios para emagrecer: por que é ruim proibir a venda contou com os esclarecimentos do Dr. Márcio Mancini.

"Quase metade da população brasileira tem sobrepeso. Muitos pacientes não conseguem perder peso com o tratamento clínico convencional, que inclui dieta e exercícios físicos. Como vamos controlar a obesidade desses pacientes sem mexer no cérebro?”, argumentou.

O site de notícias R7 entrevistou a Dra. Claudia Cozer, membro da atual diretoria da ABESO, para comentar a intenção da Anvisa.

“Você não tem mais nada. Não tem mais droga para tratar obesidade. O uso criterioso de medicações antiobesidade claramente contribui para a melhora da saúde dos pacientes, auxiliando-os na perda de peso, reduzindo o aparecimento das complicações”, disse ao repórter.

O Dr. Walmir Coutinho – ex-presidente da ABESO e da Federação Latino-americana de Sociedades de Obesidade, que participou do Estudo SCOUT como um dos oitos membros do comitê diretor internacional – foi ouvido por jornalistas de O Globo.

- Sem opção de medicamento, milhares de pessoas hoje em tratamento e com seu peso controlado vão voltar a engordar. Outros podem começar a usar, até por conta própria, remédios de outras classes, como alguns antidepressivos, que proporcionam algum emagrecimento. Sabemos que só a dieta e prática de exercícios sozinhos não resolvem boa parte dos casos. É claro que tem muita gente tomando sibutramina sem necessidade, mas isso não justifica retirar a droga e não deixar qualquer opção. É desumano - declarou, conforme publicado na reportagem Anvisa quer discutir o cancelamento do registro de medicamentos que contêm sibutramina.

Muitos outros veículos noticiaram o assunto, a exemplo da revista semanal Época (Anvisa quer banir inibidores de apetite do mercado brasileiro); do portal Terra (Anvisa quer proibir venda de emagrecedores no Brasil) e O Dia online (Remédio para perder peso vai ser banido).

Colunistas