Notícias Dicas


Índices Subiram de 42,7 para 46,6%

Índices Subiram de 42,7 para 46,6%

Índices Subiram de 42,7 para 46,6%
Por Beth Santos

O Ministério da Saúde acaba de divulgar que a soma dos índices de sobrepeso e obesidade da população brasileira avançou expressivamente de 2006 a 2009: de 42,7% para 46,6%. O percentual de obesos, por exemplo, subiu de 11,4% para 13,9%, numa escalada que vem preocupando as autoridades da saúde e a classe médica. A pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) entrevistou 54 mil adultos.

Segundo os dados da Vigitel 2009, o sobrepeso já atinge 51% dos homens e 42,3% da população feminina. Entre indivíduos do sexo masculino o quadro é mais comum a partir dos 35 anos, chegando a 59,6% na faixa etária de 55 aos 64 anos de idade. Entre as mulheres, o índice passa de 24,9%, na faixa dos 18 aos 24 anos, para 52,9% (45 aos 54 anos), ou seja, chega a mais do que o dobro.

Quando se fala em obesidade, entre homens a prevalência quase triplica no grupo dos 18 a 24 anos (7,7%) comparado com a faixa etária dos 55 aos 64 anos (19,9%). Quando se trata da população feminina, o índice pula de 6,2% para 21,3% entre as duas faixas etárias.

“O Brasil não está isolado nessas estimativas”, comenta a coordenadora de Vigilância de Agravos e Doenças não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta, referindo-se à tendência mundial. Segundo ela, os dados são “um reflexo da queda no consumo de alimentos saudáveis e substituição deles por produtos industrializados e refeições pré-prontas”.

Especialistas no assunto afirmam que o sobrepeso e a obesidade estão relacionados a fatores genéticos, mas alertam para a influência significativa de maus hábitos no decorrer da vida: sedentarismo e padrões alimentares não saudáveis. Eles podem levar também diversas doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares etc.

Leia sobre 
Vigitel 2008.

Fonte: Agência Saúde

Colunistas