Notícias Dicas


Ganho de Peso Tem a Ver com Personalidade

Ganho de Peso Tem a Ver com Personalidade

Ganho de Peso Tem a Ver com Personalidade

Disponibilidade para novas experiências, sensibilidade aos sentimentos dos outros, extroversão, capacidade de concordar e discordar e níveis de preocupação. Essas características foram consideradas em um estudo sobre obesidade, realizado durante cinco décadas, nos Estados Unidos.

Um grupo de pesquisadores do Estado de Baltimore mediu o Índice de Massa Corporal (IMC) de 1.998 pessoas e cruzou os dados com avaliações psicológicas.

Depois de mais de 15 mil checagens e medidas, no período de 50 anos, a conclusão foi a de que o temperamento tem fortes conexões com as chances de desenvolver a obesidade ao longo da vida.

Segundo a pesquisadora Angelina Sutin, do Instituto Nacional do Envelhecimento, dos EUA, coordenadora do trabalho, constatou-se existir uma diversidade de traços de personalidade, relacionada ao ganho de peso. Além disso, cada uma desses traços contribui para isso de maneira diferente.

Com rigor científico, a pesquisa demonstrou que características como impulsividade, generosidade, perfeccionismo, tristeza, medo, culpa, raiva e vergonha predispõem os indivíduos ao ganho de peso. Angelina Sutin é categórica em afirmar que tais características permitem predizer que a pessoa se tornará obesa com o passar do tempo.

Além disso, o trabalho de Baltimore mostrou que desempenhar muitas tarefas ao mesmo tempo, especialmente quando se está sentado à mesa para uma refeição, e a dificuldade em dormir, também sugerem um maior consumo de calorias.

No entanto, o que mais chamou a atenção no estudo foi o fato de pessoas extrovertidas, amigáveis e disponíveis para situações inusitadas terem mais tendência a engordar.

Outros Estudos

Em razão dessa pesquisa, outros centros de estudo começaram a focar no entendimento mais profundo das origens da obesidade em relação à personalidade das pessoas.

Na semana passada, outro trabalho, de cientistas da Case Western Reserve University (EUA), observou que pessoas que estão sempre dispostas a agradar outras comem mais em ocasiões sociais.

De acordo com a autora desse estudo, a psicóloga Julie Exline, essas pessoas sentem ainda mais pressão para comer quando consideram que isso irá ajudar outras a se sentirem melhor. O estudo de Julie foi publicado na última edição do Journal of Social and Clinical Psychology.

Outro trabalho ainda, comandado pelo cientista Robert Cloninger, da Escola de Medicina da Universidade de Washington (EUA), revelou que indivíduos mais afeitos à busca de experiências novas e sensações agradáveis também ingerem mais alimentos.

Para Cloninger, as causas da obesidade parecem ser bastante semelhantes aos motivos que levam ao alcoolismo e à dependência de substâncias psicoativas.

Colunistas