Notícias Dicas


Evento Aborda Informações Sobre Alimentação, Hormônios e Excesso de Peso

Evento Aborda Informações Sobre Alimentação, Hormônios e Excesso de Peso

Evento Aborda Informações Sobre Alimentação, Hormônios e Excesso de Peso
Por Paula Camila Rodrigues

O ENDO 2010 (The 92nd Annual Meeting & Expo), promovido pela The Endocrine Society, aconteceu entre os dias 19 e 22 de junho, na cidade norte-americana de San Diego. O encontro teve mais de 350 apresentações, várias delas relacionadas à obesidade.


Vários pesquisadores revelaram dados com implicações clínicas para o tratamento e a prevenção do excesso de peso. Dr. Tony Goldstone, cientista sênior e consultor em Endocrinologia no Metabolic and Molecular Imaging Group, MRC Clinical Sciences Centre no Hammersmith Hospital, Imperial College, em Londres, deu uma dica simples e importante para a perda de peso: não pular o café da manhã.


Dr. Goldstone e sua equipe fizeram um estudo para entender porque o jejum pode levar ao ganho de peso. Foram estudadas as preferências alimentares de pessoas que não são obesas. Foi descoberto que uma presença elevada de grelina, tanto em situação de jejum, quanto administrada ao organismo, aumentou a preferência dos participantes pelas comidas com grande quantidade de caloria.


“Parece que o jejum prolongado e a administração de grelina induzem o sistema de recompensa às comidas calóricas. Como a grelina faz aumentar o valor da comida como recompensa, isso sugere que o bloqueio da ação desse hormônio pode ter um papel no tratamento da obesidade”, explicou o médico.

Cuidado Com o Consumo de Frutose
Jeff Holly, professor de ciência clínica na Universidade de Bristol, apresentou um estudo cujos resultados sugeriram que ter uma dieta com grande quantidade de frutose na infância pode aumentar a obesidade visceral. “A frutose aparenta ter uma capacidade única de estimular o desenvolvimento das células adiposas na área abdominal. É a gordura indesejada, pois aumenta os riscos de doenças cardiovasculares e diabetes”, disse o professor.

Segundo Holly, esse estudo traz evidências de que substituir a sacarose por xarope de milho com alta concentração de frutose pode ter, inadvertidamente, ainda mais efeitos negativos nas dietas obesígenas já existentes.

Antioxidantes e Resistência Insulínica
Dr. Antonio Mancini, professor de pós-graduação em endocrinologia e ginecologia na Universidade Católica de Roma, apresentou resultados de um estudo que demonstrou que uma dieta rica em antioxidantes naturais aumenta a sensibilidade da insulina em adultos obesos e com resistência insulínica.

Além disso, o estudo mostrou que a ingestão aumentada de antioxidantes naturais, presentes em frutas, legumes e chás, melhorou os efeitos da metformina.

Foram estudados quatro grupos de indivíduos. Todos eles consumiam uma dieta mediterrânea de baixa caloria. Os grupos A e B consumiam, em média, 400 a 500 mg de antioxidantes naturais diariamente, enquanto os grupos C e D ingeriam 800 a 1000 mg.Os grupos B e D faziam uso de metformina.

A perda de peso foi semelhante em todos os grupos, mas aqueles com maiores níveis de ingestão de antioxidantes tiveram uma redução significativa na resistência à insulina. O grupo D, que consumiu alta dose de oxidantes e tomou metformina, foi o que apresentou maior nível de melhora.

Jornais Com Novidades Científicas
A organização do ENDO deixou jornais diários disponíveis (Endo Daily) para destacar pontos interessantes do evento, novidades científicas e comentar sobre os acontecimentos do dia.

Colunistas