Notícias Dicas


Crenças sobre Obesidade

Crenças sobre Obesidade

Crenças sobre Obesidade

Estudo, recentemente publicado na
 Revista da Associação Médica Brasileira, revela que determinadas visões de alguns médicos, não especialistas em obesidade, podem contribuir de forma negativa para o tratamento da doença. Tudo isso devido ao preconceito de que obesos são preguiçosos, desmotivados e sem controle.

Desenvolvido na Universidade do Porto, em Portugal, o estudo (“Crenças e práticas dos profissionais de saúde face à obesidade: uma revisão sistemática”) investigou os índices de falta de conhecimento e competência ligados a esse problema, que vem crescendo de maneira alarmante nas últimas três décadas.

Escrito por Filipa Valente Teixeira, José Luis Pais-Ribeiro e Ângela Rosa Pinho da Costa Maia, doutores em psicologia, os pesquisadores notaram que a maioria dos médicos, como os de clínica geral e da família, encara a obesidade como uma questão de saúde pública, que, independentemente do sexo dos doentes, deve ser abordado.

No entanto, consideram a existência de profissionais que não interpretam a obesidade como patologia e a relacionam ao comportamento individual, responsabilizando o obeso pelo excesso de peso.

Atitude

Quanto à atitude tomada por quem sofre de obesidade diante de seu problema, a opinião dos médicos também difere. Um número considerável de clínicos de medicina geral e da família acredita que esses pacientes não apresentam motivação para perder peso. Muitos pensam, ainda, que os pacientes procuram a forma mais fácil de tratamento e que não reconhecem seus maus hábitos, negando-se à prática de exercícios físicos.

O estudo apontou que quanto mais pesado o paciente, menor a paciência dos médicos e o tempo de consulta, já que os profissionais acreditam que esse estereótipo transmite um menor cuidado por parte do doente com sua saúde.

Nesse sentido, os autores acreditam ser de fundamental importância alertar os profissionais de saúde, seja durante o processo de formação ou na sua vida profissional, para o impacto que as crenças sobre a obesidade podem exercer nas suas práticas, as quais poderão comprometer o tratamento adequado e eficaz dos obesos.

O Crescimento

De acordo com os autores, a obesidade nos Estados Unidos cresceu de maneira alarmante nas últimas três décadas, com maior incidência entre as mulheres. Além disso, pesquisas mais atuais, realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) revelam que mais da metade da população com 20 anos ou mais sofre de excesso de peso.

Leia aqui o artigo completo da
Universidade do Porto.

Leia Mais
EUA: Médicos Revelam Preconceito com Obesos

Colunistas