Notícias Dicas


Centro de recompensa do cérebro e obesidade

Centro de recompensa do cérebro e obesidade

Não é de hoje que os neurocientistas procuram conexões entre a obesidade e o sistema de recompensa do cérebro, que ficam a cargo dos receptores de dopamina, acionados quando comemos alimentos especialmente saborosos. Muitos estudos sugerem que pessoas com obesidade têm receptores de dopamina reduzidos.

Novas pesquisas em obesidade mostram que jovens adultos com obesidade são menos motivados a trabalhar para grandes recompensas. Quando as recompensas são incertas, a motivação diminui ainda mais. E essa queda na motivação poderia desempenhar um papel nos esforços para superar a obesidade, uma vez que essas pessoas teriam mais tendência a abandonar o tratamento.

O estudo com 42 jovens com excesso de peso, examinou o quão as pessoas seguiram um programa de perda de peso de três meses. Era um programa de jejum intermitente. Isso requer mais esforço do que a maioria dos programas. As pessoas jejuavam dois dias semanalmente. Seguiram orientação nutricional personalizada. Participaram da atividade física prescrita.

Dos 42 que começaram, 17 (40%) abandonaram o estudo de 12 semanas. E o que previu o abandono foi uma medida padronizada tomada na frente. Menos motivação para trabalhar duro por recompensas incertas foi um bom preditor (p <0,02) para abandonar.

Esse estudo é apenas um pedaço de um enigma muito maior. Mas os resultados fornecem boas pistas para o tratamento da obesidade. Primeiro, esses resultados apontam para uma maneira de identificar as pessoas que provavelmente não podem sair do tratamento. Mas também sugerem uma oportunidade. As estratégias para melhorar as habilidades de decisão baseadas no esforço podem ser uma ajuda real para manter as pessoas no caminho.

A persistência é fundamental para obter melhores resultados. A obesidade é uma doença crônica. Não temos curas, mas temos boas ferramentas para gerenciá-la. E um melhor suporte para as pessoas que desejam gerenciar seu peso significará melhores resultados no longo prazo.

Ted Kyle, do ConscienHealth, parceria com Abeso

O estudo >>> DOI: 10.1002/oby.21948

 

Colunistas