Notícias Dicas


Bioalimento Nutritivo para Tratar a Síndrome Metabólica

Bioalimento Nutritivo para Tratar a Síndrome Metabólica

Bioalimento Nutritivo para Tratar a Síndrome Metabólica

Originário deresíduo alimentar, destinado ao tratamento de pessoas com Síndrome Metabólica, um bioalimento com alto teor nutritivo está na fase de ensaios pré-clínicos em animais, no Laboratório de Reatividade Cardiovascular, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

Intitulado “Desenvolvimento de alimento de alto teor nutritivo com resíduos regionais: incentivo à biotecnologia sustentável”, o estudo – pioneiro da UFAL – tem coordenação científica da professora Luiza Rabêlo. Também trabalham na pesquisa os doutores Glaucevane da Silva Guedes, Valéria Nunes de Souza e Carlos Alberto Silva Júnior.

Segundo Luiza Rabêlo, a pesquisa surgiu como uma continuidade dos estudos científicos promovidos pelo laboratório. O objetivo é elaborar um alimento funcional (o bioproduto), que está em fase de testes pré-clínicos, direcionado à Síndrome Metabólica em camundongos.

Tais testes serão realizados até janeiro de 2013. Em abril, o estudo será submetido ao Comitê de Ética da UFAL, para então entrar na fase dos ensaios clínicos em seres humanos sadios e com 60 pacientes do Hospital Universitário, portadores da síndrome. Os testes com humanos terão duração de um ano.

Estima-se que 25% a 30% da população mundial sofrem de Síndrome Metabólica, considerada um problema de saúde pública, que acomete pessoas de todas as idades e resulta de um conjunto de doenças associadas, entre elas, obesidade,hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto, que estão diretamente relacionadas ao aumento da mortalidade por doenças cardiovasculares.

Apoio

Com apoio do Instituto Nacional de Tecnologia Nanobiofar, do CNPq, e coordenado pelo professor da Universidade Federal de Minas Gerais, Robson Santos, a pesquisa tem financiamento do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).Também estão envolvidos o Programa Nacional de Cooperação Acadêmica - Ação Novas Fronteiras (Procad–NF) e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT).

De acordo com Luiza Rabêlo, devido à pesquisa já há um livro elaborado para ser editado pela Editora Universitária (Edufal), com previsão de lançamento em 2013, durante a Bienal Internacional do Livro de Alagoas.

“Também temos elaborada uma Cartilha sobre a Síndrome Metabólica para distribuição gratuita à comunidade. Para essa ação contamos ainda com o apoio do PPSUS -2009 e da Fapeal (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas)”, concluiu a coordenadora do estudo.

Leia Mais:
Estudo Verificará Saúde de 75 mil Jovens Brasileiros
SM: Estudo de Prevalência
Amamentar Diminui Desenvolvimento de SM

Colunistas