Notícias Dicas


Bebês de Cesariana Têm Mais Propensão à Obesidade

Bebês de Cesariana Têm Mais Propensão à Obesidade

Bebês de Cesariana Têm Mais Propensão à Obesidade

Está comprovado: bebês que nascem de cesariana apresentam 58% mais chances de se tornarem obesos na idade adulta. A conclusão está no primeiro estudo já feito em base populacional para esclarecer a ligação entre os tipos de parto e a obesidade

A pesquisa é do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, realizada pela equipe do professor Marco Antônio Barbieri, do Departamento de Pediatria e Puericultura da Faculdade de Medicina (FMRP). 

O estudo compilou informações de 2.057 pessoas que fazem parte de um banco de dados do HC, criado entre 1978 e 1979. Naquele período, foram incorporados à pesquisa todos os bebês que nasceram na cidade – 6.973 recém-nascidos - e respectivas mães. Sabe-se hoje que este banco de dados atraiu a comunidade científica, desencadeando diversas pesquisas inéditas no mundo.

Recentemente, a equipe de pesquisadores rastreou os bebês de então, agora adultos, e trabalhou com a seguinte hipótese: “será que nascer por cesariana ou parto normal pode afetar o Índice de Massa Corporal (IMC)? Nossa pesquisa mostrou que existe esta relação”, explica o professor Barbieri.

Hipótese

Estudos já mostraram que a chamada microbiota (ou seja, as bactérias do intestino) do indivíduo que nasce de parto normal é diferente daquele que nasce por cesariana. As pesquisas, também mostram que estas diferenças, nas crianças, podem resultar em excesso de peso. Segundo Barbieri, “uma das hipóteses para a obesidade é que a microbiota foi modificada em função do parto cesárea”. 

Ficou claro, no entanto, que uma das limitações do estudo é não ter mensurado a amamentação e o peso das mães. Helena Aiako Goldani, responsável pela pesquisa, comenta que “o aleitamento materno fornece substâncias para o desenvolvimento infantil do intestino. Nós não temos os dados de amamentação durante a infância, e isso é uma limitação do nosso estudo”.

Colunistas