Notícias Dicas


Avanços

Avanços

Quase um terço das crianças e adolescentes estão com sobrepeso ou obesos nos EUA. Mas há evidências crescentes que mostram: oferecer alimentos saudáveis nas escolas e comunidades e integrar a atividade física na vida diária das pessoas são ações que contribuem para as reduções nas taxas de obesidade infantil. 

Quem mostra os resultados é a Robert Wood Johnson Foundation (www.rwjf.org)

No Novo México, houve declínio de 5,3% da obesidade entre alunos da terceira série. Basicamente, por lá, as atitudes se resumiram em promover a atividade física e as refeições saudáveis nas escolas. Facilitar o acesso a bicicletas e meios de transporte alternativos entre a comunidade também fizeram parte das iniciativas. 

No Mississipi, a redução foi de 13,3 %. Levando em conta que o Estado esteve no topo do ranking dos índices de obesidade entre crianças e adultos, as mudanças por lá foram drásticas. E criativas. Além das iniciativas convencionais, como promover o consumo de comida mais saudável nas escolas e conscientizar a população para a importância da atividade física, Mississipi entrou para um projeto nacional que toma medidas para que as ruas sejam mais seguras e acessíveis para caminhadas e pedaladas. Outro bom exemplo: o projeto Move to Learn encorajou professores dos arredores a promover atividades físicas curtas durante os intervalos.

A Califórnia, cuja reputação está na vanguarda do combate à obesidade, também integra o levantamento da RWJF. Ações rigorosas se iniciaram em 2004, como a proibição da venda de refrigerantes e outras bebidas adoçadas com açúcar nas escolas, a limitação de calorias, gorduras saturadas e açúcares presentes em lanches oferecidos ou vendidos nas escolas, e a exigência de informações sobre calorias em menus de restaurantes.

O RWJF dá mais detalhes sobre os avanços obtidos nas 11 localidades, em seu site. A organização alerta ainda para o fato de que é preciso aprimorar os programas de combate à obesidade nas escolas e nos programas de saúde e nas comunidades, levando em conta as disparidades sociais – o maior entrave para o sucesso heterogêneo do projeto.

Colunistas