Notícias Dicas


Atividade Física no Combate à Obesidade

Atividade Física no Combate à Obesidade

Atividade Física no Combate à Obesidade

Instituída pela Organização Mundial de Saúde, na data de 6 de abril comemora-se o Dia Mundial da Atividade Física. Como afirmam os especialistas, o sedentarismo é a principal causa de doenças cardiovasculares, diabetes e, principalmente, obesidade. Para reforçar seu combate, o coordenador do Departamento de Atividade Física da ABESO, Dr. Carlos Alberto Werutsky, dá algumas informações e dicas importantes.

“A associação da inatividade física com doenças crônico-degenerativas (obesidade, diabetes, hipertensão, osteoporose e outras) é bem estabelecida. Uma publicação recente mostrou que a prevalência de diabetes tipo 2 é maior nos Estados Unidos (7,6% da população), em relação ao Canadá, (5,4% da população) porque o sedentarismo nos Estados Unidos é de 70,9%, enquanto no Canadá é de 52,3%.

Nos próximos 20 anos, a estimativa mundial é a de dobrar a população de obesos e diabéticos, inclusive com mais idade, pois a expectativa de vida está aumentando. No Brasil, o estilo de vida sedentário está estimado em mais de 60% da população.

Recomendação
A Organização Mundial de Saúde recomenda, para a população em geral, 30 minutos de atividade física de intensidade moderada, no mínimo cinco dias por semana, seguida de exercícios de força (8-10 repetições/série), pelo menos duas vezes por semana.

Resistência
A falta de tempo é o principal motivo das pessoas não iniciarem ou descontinuarem um programa de atividade física. Pacientes obesos se queixam mais de dificuldades do que pessoas de peso normal na prática dessas atividades.

Mudanças
Pequenas mudanças de conduta no dia a dia podem diminuir o grau de sedentarismo:
• No escritório, levantar mais vezes da cadeira, “carregar” mensagens entre departamentos, evitar o elevador.
• Em casa, sair com o cachorro, lavar o carro, mexer no jardim.
• Nos fins-de-semana, brincar com as crianças, passear e dançar.
Essas atividades não programadas devem atingir, no mínimo, 150 minutos/semana.
• O uso de um pedômetro (monitorador de passos) é extremamente simples, prático e de baixo custo para avaliar o progresso da atividade física do dia a dia (qualquer movimento corporal). O mínimo a ser atingido/dia seria de 4.000 passos. Como recurso terapêutico - por exemplo, na obesidade e diabetes - deveria ser atingido 10.000 passos/dia.

Apoio Efetivo
Todos os profissionais da saúde devem estar atentos ao recurso terapêutico da atividade física na prevenção e tratamento das doenças crônicas. Para tanto, devem reservar 3 minutos de cada encontro com os pacientes para falarem da atividade física. Esses profissionais devem estar convencidos de que a atividade física regular funciona, de que é terapêutica e, preferencialmente, também a praticarem. Talvez a falta dessa convicção dentre a maioria dos profissionais da saúde possa explicar o insucesso relativo dos programas comunitários de incentivo à prática da atividade física pela população em geral”.

Leia Mais:
• Atividade Física em Foco

Colunistas